ASSEMBLÉIA DE DEUS - MINISTÉRIO COLHEITA DE DEUS

Colunistas

Dificuldades de relacionamento afetivo

A Bíblia nos diz em Gênesis 2:18: ...“Não é bom que o homem esteja só”. E não é mesmo! 

Deus nos fez criaturas sociais, e é natural que busquemos alguém para compartilhar a vida...mas, o que fazer quando esse alguém não chega? E por que será que muitas pessoas têm dificuldades de conquistar ou manter um relacionamento afetivo?

Vamos por parte. Quando esperamos por alguém que não chega, não deve ser motivo de desespero, angústia ou depressão. Ele (a) chegará – creia nisso!! Deus provê todas as nossas necessidades, e temos que pensar nas únicas saídas: orar e agir. Primeiro temos que orar, crendo que no tempo de Deus o pedido se cumprirá. Mas você precisa saber pedir. Exemplo: Se você acabou de conhecer alguém que lhe parece excelente partido, e pede à Deus que desperte naquele alguém interesse por você; cuidado! Você precisa pedir à Deus que envie alguém que te faça feliz, homem ou mulher de Deus, com atributos especiais dos quais não irá se arrepender depois; e mais: saber identificar e reconhecer quem, de fato, Deus lhe enviou. O inimigo é astuto, e pode colocar em seu caminho alguém que seja uma verdadeira “desgraça”. 

Adquira o hábito de falar com Deus em oração e fique firme! 

E depois de orar, vem o agir. Não quero dizer que sairá jogando-se nos braços do primeiro que aparecer. Procure saber mais sobre essa pessoa. Saber o valor que ela atribui a uma família. Mas seja sábio, pois há pessoas que têm respostas espetaculares para quaisquer perguntas.

Conhecer alguém é, também ouvir outras pessoas com quem convive. Uma boa dica é: geralmente um bom filho ou boa filha, tem grande chance de ser um bom marido ou boa esposa.

Não se desespere, a procura precisa ser cautelosa; e ás vezes demora. E o fato de ser solteiro não tem que ser sinônimo de solidão ou frustração. Se a dificuldade de se relacionar está em você, descubra quais são as causas, para buscar a devida ajuda. 

Muitos são os problemas que dificultam encontrar a sua cara metade: dificuldades de manter contato com o sexo oposto, traumas ou abusos sexuais, timidez, falta de habilidade para manter uma conversa, auto-estima baixa, auto-rejeição (não aceitar a si próprio), sentimentos de inferioridade, muitas responsabilidades assumidas (não tem tempo), traumas emocionais – por ter sofrido grande perda (de alguém ou alguma coisa) ou até mesmo por demissão, provocando queda no padrão de vida (perda de interesse pela vida), , pais muito rígidos, falta de uma relação afetiva eficiente com o pai ou a mãe por morte ou divórcio, lares desarmônicos em que os pais não tinham afeto um pelo outro ou não desenvolveram um relacionamento de amizade e companheirismo – gerando filhos inseguros e com dificuldades de manter uma sexualidade sadia. 

Enfim, são inúmeras as causas, e ainda existem outras que podem impossibilitar esse acesso natural ao outro, ou impossibilitar o relacionamento afetivo. 

O importante é que esses motivos sejam detectados e tratados. Isso não significa contar o seu problema para qualquer pessoa, você pode vir a passar constrangimentos por isso; você precisa de alguém que possa ajudar e não apenas saber do seu problema. 

Ao invés de ficar angustiado por estar solteiro, procure ocupar o seu tempo com seus projetos de vida – espirituais ou profissionais. Visite lugares sadios, visite outras igrejas, faça novas amizades – quem sabe você encontrará alguém interessante? O importante é não ficar ansioso ou sofrendo com pensamento fixo – deixe as coisas acontecerem. Leia Mateus 6:34.

E quando esse alguém interessante aparecer, o melhor a fazer é se aproximar discretamente, buscar conhecê-lo melhor, através de boas conversas; e nem precisa revelar, de imediato, suas reais intenções. Se o outro for tímido, você poderá tomar a iniciativa (independente de você ser homem ou mulher), mas, lembre-se : depois de muitas observações e avaliações, princípios bíblicos obedecidos, você poderá tirar as conclusões necessárias. 

Se não valer a pena, não fique por ficar. Seja prudente e cortês, e vá “saindo pela tangente”. Mas, se houver interesse mútuo e estiver dentro dos seus padrões ( cuidado com muita idealização), vá a luta e chame-o para um papo sincero.

Ah! E não esqueça de me convidar para as bodas. 

E aproveite ainda para refletir em Salmos 37:5: “Entrega o teu caminho ao Senhor, confia Nele, e o mais Ele fará.”

Abraços e até a próxima..

DrŠ Laura Ferreira
Conheça o perfil pessoal de nosso colunista ou outros artigos publicados por ele
Clique Aqui